Dez 11 2016

Na noite do último sábado (9) a Associação de Imprensa e Comunicação de Parauapebas (Aicop), realizou uma festa com o tema havaiano no espaço de eventos do Pebinha Açucar para homenagear membros de imprensa de Parauapebas.

Estiveram presentes profissionais de vários veículos de comunicação, a oportunidade foi propícia para homenagear os pioneiros da comunicação em Parauapebas, Marcel Nogueira primeiro presidente da entidade fez a primeira fala e relembrou muitos amigos que com ele estava no início de tudo e que hoje a imprensa local tem tido um espaço e reconhecimento inesperado para a época, como também o crescimento de número de veículos de comunicação de vários segmentos na cidade. “Na época da fundação da Aicop éramos tão poucos, mas tínhamos o principal objetivo de valorizar os comunicadores e hoje é glorioso vermos aonde chegamos”. Enfatizou Marcel

O cerimonial foi conduzido pela jornalista Karine Gomes, e as homenagens seguiram da seguinte forma: Marcyne Paula falou em nome do site AgitoPebas que foi o primeiro de Parauapebas e região abrindo caminho para a comunicação digital na cidade. Bariloche Silva do Portal Pebinha de Açúcar falou em nome dos portais que atualmente dominam o mercado. Anchieta Cordeiro falou em nome das rádios visto que foi um dos precursores do rádio ladeado de R.Silva na época do rádio alternativo. Edinan da HD Produções falou do surgimento da TV local na cidade, o repórter Antônio Marcos do grupo Correio, foi homenageado por ser o primeiro repórter de Parauapebas. O repórter José Neves falou do posto de repórter de destaque nacional. Genésio da Rede Tv falou da superação em estruturar uma tevê em tempos de crise sendo uma das que mais gera emprego na área.

Após um resgate da história da comunicação e imprensa de Parauapebas feita pelo o “eterno presidente” Waldir Silva, a atual presidente Cléo Lopes falou que este ano foi de muitos desafios mas que estão sendo superados com muita força de vontade e união dos companheiros de imprensa. “Estamos muito feliz e queremos agradecer a Deus e todos que vieram prestigiar nossa festa, que pela primeira vez está sendo realizada com recursos próprios. Este ano a Aicop completará 14 anos e queremos vencer cada dia para fazermos nossa imprensa forte”. Conclui a presidente.

Out 28 2016

Palinha Cultural reestreia com ação em prol dos Amigos do Museu

 

Existente há uma década a Palinha Cultural do CDC retornou com glamour após três anos extinta do calendário cultural de Parauapebas. A causa foi nobre para o evento, ajudar a Associação Amigos do Museu que visionou a reestreia da Palinha como uma ocasião ímpar para arrecadar fundos para a entidade, com o objetivo de concluir o processo de sua legalização.

 Palinha Cultural: de acordo com a diretora do Centro de Desenvolvimento Cultura Síndima Pinto, o retorno do evento semanal, foi o justo reconhecimento do talento dos artistas locais, pois é uma ocasião para que a música popular brasileira seja imortalizada como também a exposição de belas artes de artesanato, comidas típicas, acervo de poesias e as danças regionais todas estas estrelada pelo povo de Parauapebas. “A Palinha Cultural é um patrimônio de nossa cidade, pois nela podemos promover o encontro dos amigos da família e colocando em evidência a arte, estamos nos esforçando para que a partir de agora todas as sextas-feiras, venha estar acontecendo”. Acrescentou Síndima.

Amigos do Museu: Associação Amigos do Museu é uma organização sem fins lucrativos que está em fase de legalização, composta por voluntários com o intuito de cooperar com o Museu de Parauapebas. Visando projetos de captação de acervo histórico e cultural a entidade busca resgatar a identidade do povo de parauapebense.  De acordo com José Luiz, presidente da AAM, o Museu de Parauapebas foi instituído desde 2011 fundamentado em lei, mas o que arremete ao projeto é a falta de espaço físico para sua estruturação, causa disto, reconhece que a associação legalizada os mesmos desfrutaram de financiamentos direto de instituições de apoio à cultura. “Retomamos o projeto da entidade por reconhecer que Parauapebas possui um leque histórico cultural de sua memória exorbitante, e nosso objetivo é conseguir concluir o processo de legalização para poder começar a campanha de captação de acervo”. Informou José Luiz.

Para o antropólogo Leonardo Bruce,o museu será a concentração da riqueza histórica de Parauapebas, mesmo porque apesar da cidade ser jovem, já possui uma população nascida seu seio, causa disto, precisa manter viva a história para encontra a identidade desta geração. Para o antropólogo o museu já possui acervo fotográfico da fundação da cidade, plebiscito de emancipação, projeto grande Carajás, relatos de pioneiros, mas para o museu precisa de uma equipe interdisciplinar, arquivistas e arqueólogos. “Estamos em busca de acervo, seja uma simples fotografia para enriquecer nosso acervo histórico para desenvolver um sentimento de pertencimento ao lugar”. Concluiu Bruce.

Por: Marcyne Paula

Fev 14 2016

Jan 26 2016

Jan 26 2016

Prime 23-01-16

Publicado em Fotos

Jan 25 2016